Apenas um olhar sobre Parada de Gonta. Uma visão da realidade de ontem, de hoje, de sempre. A Aldeia que foi musa do Poeta, dos Poetas, Tomás Ribeiro, Branca de Gonta Colaço, Rodrigo de Melo...e berço de muitos artistas!
Quinta-feira, 3 de Fevereiro de 2005
PARADA DE GONTA & SERRETA / ANGRA DO HEROISMO. Afinal a ligação já vem de longe!


Ao reler-mos “Sons que Passam” de Tomás Ribeiro, deparámos com um poema de referências amistosas entre o autor e um seu amigo de Angra do Heroísmo, com a seguinte dedicatória:

 

(Ao meu particular amigo Luís António Nogueira, d’Angra do Heroísmo, quando me participou o nascimento de sua primeira  filha)


ARBUSTO MANINHO

 

Tu já tens visto arbustos na montanha

 

que se vestem de flor na primavera,

 

mas de pallida flor triste e inodosa,

 

e a quem jamais dos vendavaes a sanha

 

consentiu que ao pastor, à abelha, à fera,

 

désse um fruto no outomno? Attenta agora

 

para mim um momento, e hás de, sem custo

 

               achar o meu retrato

 

               n’esse infecundo arbusto.

 

Pensa depois em ti! Vê como é grato;

 

após o trabalhar, achar-se um berço,

 

ninho alvíssimo e quente, em que descança

 

               avesinha que ri!...

 

És pae!...Ser pae é viver sempre immerso

 

em ondas de poesia e d’esperança;

 

é ser mais seu e não pensar em si;

 

               é transbordar d’amor;

 

é derramar prazer do seio a flux;

 

é correr, correr sempre cauteloso

 

e não sair do quarto, em derredor

 

               do seu mórbido ninho,

 

como anda a borboleta em torno à luz,

 

               a abelha em torno à flor;

 

é pressentir um ai, e alvoroçar-se;

 

aprender só de si que se resume

 

o almo sustento para o caro implume

 

em manjares…de leite e de carinho!...

 

Ser pae é ser bendito do Senhor!

 


Triste do ser que há de viver sósinho

 

ser ver um fruro do bendito amor!

 

triste do arbusto que nasceu maninho,

 

ornando-o apenas…descorada flor!

 

               m’a quis poupar a mim!

 

               depõe-na sobre o berço,

 

e ao teu anjo dormente dize assim:


“Dorme, filha, meu thesoiro,

 

ao som das vagas do mar!

 

róseos anjos d’azas doiro

 

venham teu somno embalar!


 

No mez dos cantos e flores

 

nasceste, ó rosa gentil!

 

Deus te dê éden d’amores,

 

e aromas d’um longo Abril!


 

Primeira estrella fagueira

 

d’enamorado pallor,

 

primeira flor da roseira,

 

primeiro beijo d’amor


 

rôem-te os íris da esp’rança,

 

formem teu leito os rosaes,

 

mensageira de bonança,

 

pomba da arca de teus pães.


 

Bafeje a Virgem teus olhos;

 

o Senhor te firme o andar;

 

o vento varra os abrolhos

 

do chão que tens de pisar!


 

Dorme, filha, meu thesouro,

 

que eu velo e guardo-te aqui!

 

róseos anjos d’azas d’oiro

 

segredam em torno de ti!

 


Bem longe, em saudade immerso,

 

tenho um amigo, um irmão

 

que te daria por berço,

 

minha filha, o coração!”


 

Sons que Passam, 7ª edição, pp93-96

Tomás Ribeiro

(1.ª edição em 1867)


 

 

 




publicado por paradadegonta às 00:30
link do post | comentar | favorito
|

6 comentários:
De Anónimo a 15 de Fevereiro de 2005 às 01:56
Ola que bom esta afinidade ... deixo beijoca*Lina
(http://acordomar.blogs.sapo.pt)
(mailto:Linahopes@msn.com)


De Anónimo a 6 de Fevereiro de 2005 às 06:12
Após a época carnavalesca vou tentar averiguar tudo isso. Me aguarda. Agora só volto ao serviço na próxima quarta-feira. Até lá é Carnaval que ninguém leva a mal e na ilha Terceira uma maravilha sem igual. AbraçoBlueyes40
(http://silvarosamaria.blogs.sapo.pt)
(mailto:rosasilva@vodafone.pt)


De Anónimo a 6 de Fevereiro de 2005 às 02:00
Adorei esses versos em homenagem ao nascimento de uma filha. Muito lindo. Nascesmos, sem saber o tanto amor que nossos pais já nos dedicam, e sofremos quando eles nos deixam :((. Beijinho e bom Domingo*lina
(http://acordomar.blogs.sapo.pt)
(mailto:linahopes@msn.com)


De Anónimo a 5 de Fevereiro de 2005 às 23:35
Enquanto tornamos mais próximas as nossas Terras, bom seria, como diz o Ag., que essa Amizade de longa data pudesse agora ser oficializada entre as Entidades das duas localidades.Enquanto isso não acontece, acho que seria interessante saber um pouco mais desse Amigo de quem fala Tomás Ribeiro. Amiga (Blueyes40) não haverá por aí alguma informação sobre Luis Antonio Nogueira? paradadegonta
(http://paradadegonta.blogs.sapo.pt)
(mailto:paradadegonta@sapo.pt)


De Anónimo a 4 de Fevereiro de 2005 às 19:06
Angra do Heroismo e Parada de Gonta, que bonito seria reafirmar essa amizade que já vem de tempos longínquos.Agostinho
</a>
(mailto:ag_silva@hotmail.com)


De Anónimo a 4 de Fevereiro de 2005 às 01:51
Depois de ler o teu artigo sobre as "referências amistosas entre Tomás Ribeiro" e um amigo de Angra do Heroísmo fiquei muito contente. Porque passados tantos anos voltou a nascer uma amizade entre Parada de Gonta e Angra do Heroísmo. Falo agora em Angra do Heroísmo porque a minha residência é nesta cidade. Passo a explicar: A freguesia da Serreta está situada no cabo ocidental da ilha Terceira, do arquipélago dos Açores, voltada ao noroeste, num terreno alto sobranceiro ao mar tendo como área 14,37 Km. Dista 20 km da sede do concelho de Angra do Heroísmo. O seu nome tem origem na serra que lhe fica eminente pelo Norte e da qual provém os nevoeiros, ali tão frequentes. Este é parte do texto que está na minha página pessoal sobre a minha freguesia natal. Depois desta tua referência à amizade antiga fiz uma pesquisa sobre Parada de Gonta e confirmei que é a Freguesia nº 16 do Concelho de Tondela que tem o nº 21 do distrito de Viseu com o nº 18; A Serreta é a Freguesia nº 17, do Concelho de Angra do Heroísmo com o nº 01 da ilha Terceira com o nº 43, classificação de acordo com as nomenclaturas territoriais do INE - Instituto Nacional de Estatística. Como podes verificar em questão de freguesias nem os nºs estão afastados. Portanto esta amizade entre Parada de Gonta & Serreta merece ser louvada. Obrigado Amigo por esta referência que me encantou. Um abraço fraternoBlueyes40
(http://silvarosamaria.blogs.sapo.pt)
(mailto:rosasilva@vodafone.pt)


Comentar post

mais sobre mim
arquivos

Março 2017

Janeiro 2017

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

posts recentes

Assim nasce uma nova era....

Imagens que fazem a histó...

...

PARADA DE GONTA, SEMPRE!

E, por fim, TONDELA!

LEMBRANDO...

(...6) Em SINES e...

(...5) Em Carnaxide!

(...4) Em Coimbra!

Parada de Gonta,Terra de ...

(…3) Em Reguengos de Mons...

GILBERTO AMARAL. Casament...

(...2) Na Serra!

Parada de Gonta, pelo Paí...

Dos EUA a PARADA de GONTA...

...

PERCURSOS PEDESTRES!

PÁSCOA DE HOJE. PÁSCOA DE...

ESTAMOS EM TRABALHOS DE M...

MANUEL VIEGAS. Um Coração...

SIMBOLOS DE OUTROS TEMPOS...

A PRIMAVERA ENTROU POR AQ...

CORES DA NATUREZA. PERFUM...

PARADA DE GONTA EM FESTA ...

RODRIGO EMILIO.Poeta de P...

O CICLO DA BROA.

PARADA de GONTA. Continua...

NATAL de PARADA de GONTA!

FESTA À N.ª Srª da CONCEI...

CASAS DA ALDEIA!

Parada de Gonta Reconhece...

PARADA DE GONTA, Arqueoló...

Lembrando Os Que Já Parti...

QUINTAS de Parada de Gont...

Escola do 1.º Ciclo, Para...

Casas Típicas da Aldeia!

ESTAÇÃO Caminhos-de-Ferro...

A Descendência Artística ...

Ainda. As Noites da Aldei...

A NOITE COM ELA...

08 de Julho de 1880 - 08 ...

1 de Julho de 1831 – 1 de...

...

FONTES DA ALDEIA!

PARADA DE GONTA, 121 ANOS...

PARADADEGONTA RECONHECE O...

Fábrica de Lanifícios. 10...

...

Ainda as Festas Populares...

A convite de um Amigo...

Viagem Segura
ROMARIA
Grupo do Tacho
usatacho
...
Gilberto Amaral
Arte p 1 Canudo
Dennis Amaral
Luísredevil
Rodrigo Emilio
...
Ass.AmigosPGonta
ADRCPGonta
Escola PGonta
Sant’Ana.05
Website PGonta
...
AZORIANA geminada
(ParadadeGonta&Serreta)
IncertosMomentos
SegundaVida
Terena
Visitantes
Free Web Counter

VOCE ESTÁ AQUI
online

BOA VIAGEM...



pesquisar